FAZENDAS E ENGENHOS NOS SUBÚRBIOS DO RIO DE JANEIRO

CIDADE DE SÃO SEBASTIÃO DO RIO DE JANEIRO



Prezado internauta.

Você gostaria de poder contribuir com a nossa pesquisa a respeito dos engenhos e fazendas que existiram ao longo dos subúrbios da Cidade do Rio de Janeiro (ainda existem de pé algumas dessas sedes de fazendas)? Pois, bem!  Caso possa colaborar, envie-nos - ou entre em contato - qualquer informação sobre os seus proprietários, famílias que lá viveram, fatos curiosos, além, é claro, de fotografias antigas das mesmas. Caso não possa ou não deseja doar imagens, por favor, nos ceda uma cópia e a autorização para utilizá-las em exposições futuras, artigos, publicações etc. Todo o crédito será fornecido.

Agradecemos por qualquer colaboração.

Cordialmente,

Paulo Clarindo
Grupo de Pesquisa do Subúrbio Carioca - GPSC
(21) 2261-0012 ou 2656-9810 ou 9765-6038
amigosdopatrimonio@gmail.com



 
FAZENDAS E ENGENHOS E SEUS RESPECTIVOS BAIRROS
Casa de Fazenda do Capão do Bispo/IAB 2010 - acervo Paulo Clarindo





Igreja de N. S. da Apresentação do Irajá, 1950-fotolog.terra.com.br-znorte146



1. Fazenda Grande do Irajá..........................................Irajá


2.Fazenda Botafogo.....................Costa Barros/Barros Filho/Fazenda Botafogo


3.Fazenda do Brás de Pina....................Brás de Pina


4.Fazenda do Campinho........................Campinho/Madureira


5.Fazenda dos Afonsos.........................Base Aérea do Campo dos Afonsos


6.Fazenda Grande da Penha.................Penha


7.Fazenda N. S. de Nazaré...................Anchieta/Mariópolis/Ricardo de Albuquerque/Guadalupe


8.Fazenda do Portela..........................Madureira/Oswaldo Cruz


9.Fazenda N. S. da Conceição da Pavuna.............Pavuna


10.Fazenda das Palmeiras......................Penha


11.Fazenda das Palmeiras......................Inhaúma


12.Fazenda do Viegas........................Senador Camará


13.Fazenda do Capão do Bispo..............................Del Castilho/Cachambi/Maria da Graça/Vieira Fazenda


14.Fazenda da Taquara..........................Jacarepaguá


15.Fazenda do Barata.................................Realengo


16.Fazenda Sapopemba....................Deodoro/Marechal Hermes/Vila Militar


17.Fazenda do Valqueire.......................Vila Valqueire


18.Fazenda do Mendanha......................Campo Grande


19.Fazenda do Cordovil..........................Cordovil


20.Fazenda do Sapê..................Rocha Miranda/Turiaçu


21.Fazenda do Areal........................Coelho Neto/Acari


22.Fazenda do Gericinó.................Nilópolis/Zona Oeste


23.Fazenda da Bica.................................????????????


24.Fazenda dos Manguinhos...................Manguinhos


25.Fazenda do Bom Sucesso...................Bonsucesso


26.Fazenda da Conceição.......................??????????????


27.Fazenda do Vigário Geral...................Vigário Geral


28.Fazenda do Barro Vermelho...............Colégio


29.Fazenda do Bangu...............................Bangu


30.Fazenda Real de Santa Cruz...............Santa Cruz e municípios


31.Fazenda Monte Alegre.................................Méier


32.Fazenda do Bananal.............................???????????


33.Fazenda do Cabral................................Anchieta/Olinda/Nilópolis


34.Fazenda do Frutuoso..........................?????????????


35.Fazenda de Vicente de Carvalho Oliveira........Vicente de Carvalho


36.Fazenda do Engenho Novo...................Jacarepaguá (Colônia Juliano Moreira)


37.Engenho da Rainha.....................Engenho da Rainha


38.Engenho d’ Água................................Jacarepaguá


39.Engenho de N. S. da Graça...................Vigário Geral


40.Engenho Boa Esperança.............................Honório Gurgel/Barros Filho


41.Engenho N. S. da Ajuda...........................origem da Fazenda Grande da Penha


42.Engenho da Pedra..............................?????????????


43.Engenho Novo da Piedade.................???????????????


44.Engenho do Realengo..............................Realengo


45.Engenho da Ilha....................................??????????


46.Engenho de Fora...................................Guaratiba


47.Engenho da Água Branca....................proximidades de Realengo


48.Engenhoca do Vira-Mundo..........................Turiaçu




35 comentários:

Luciano Matos disse...

O item 23 Fazenda da Bica, fica localizado em Cascadura. Ref. rua Souto, morro da bica, morro do fubá

Amigos do Patrimônio Cultural disse...

Obrigado pela sua contribuição, Luciano. Posso convidá-lo para uma futura reunião com o nosso grupo do Subúrbio?

Abraços,

CLARINDO

Marina disse...

Havia uma fazenda chamada Conceição do Sacupenopan (nome indígena da Lagoa Rodrigo de Freitas) às margens da Lagoa, que foi comprada pelo governo em 1809. Tinha Engenho e Igreja, fundados por Diogo de Amorim Soares, que obteve as terras em sesmaria em 1598. Talvez a fazenda listada como "da Conceição", não localizada, fosse essa. Realmente não sei..........
marinagouvea@gmail.com

Jovens na História Blog disse...

Olá! Adorei seu blog e, principalmente, este post. Há blogs sobre a história de cada bairro. Eu havia até recebido um email de um amigo com todos os sites, mas não estou achando aqui. Quando achá-lo, envio-o para você. Parabéns pelo trabalho!

GENEALOGIA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eliete disse...

A Fazenda das Palmeiras em Inhaúma era propriedade de Frederico Pinheiro da Silva. Minha mãe morou nas imediações em pequena e conta que até os anos 40 funcionou um asilo, a Associação N. Sra. da Piedade. Atualmente toda essa propriedade foi ocupada por Conjunto Habitacional e a Comunidade da “Fazendinha” ou “Morro das Palmeiras”, lugar bastante perigoso. Até os anos noventa podíamos ver ainda as gigantescas palmeiras. Hoje não sei, mas posso tentar averiguar.
Abraços!

AMIGOS DO PATRIMÔNIO CULTURAL disse...

Querida Eliete (posso chamá-la assim?).

Em nome do AMIGOS DO PATRIMÔNIO CULTURAL agradeço pelo simpático comentário.

Há alguns anos, eu (CLARINDO) e o Juber Decco (membro do nosso grupo e do Instituto de Arqueologia Brasileira - IAB) estivemos na sede da antiga Fazenda das Palmeiras, muito citada pelo Brasil Gerson em sua excelente obra "História das Ruas do Rio". Na época, conversamos com uma simpática senhora bem idosa que nos mostrou as dependências daquela antiga fazenda. Funcionava como abrigo para pessoas idosas, geralmente senhoras. Desde então não retormamos ao local. Gostaria muito de poder revisitá-la, porém, o que nos preocupa é a questão da segurança no local. Não tivemos oportunidade de fotografá-la na ocasião. Será possível agora?

Por favor, entre em contato comigo pelo e-mail ou telefones abaixo.

Abraços,

CLARINDO
amigosdopatrimonio@gmail.com
(21)9765-6038 ou 2333-1412 ou 2656-9810

Eliete disse...

Clarindo, obrigada pelo comentário. Mandei um e-mail para você.
Hoje está difícil tentarmos ir até o que foi a Fazenda das Palmeiras, já que a localidade (Fazendinha) faz parte do Complexo do Alemão.
Infelizmente!!
Abraços
Entrarei em contato!

Marilda disse...

Olá
Estou tomando conhecimento agora desse blog e do trabalho de Vcs pois estava procurando informações de fazendas antigas da cidade do Rio de Janeiro.
Há uma lista de fazendas aqui no blog. Vcs tem infos. sobre todas elas? Gostaria de obter dados sobre a Fazenda do Areal. Quando criança, morei em Coelho Neto e sei que havia uma estrada conhecida como Estrada do Areal. Diziam que o conjunto habitacional do IAPC de Coelho Neto teria sido construído sobre um "pântano", talvez uma área já abandonada da fazenda naquela época (final da década de 40). Gostaria muito de fazer um levantamento histórico daquela região. Agradeço qq informação.
Parabéns pelo trabalho de resgate de nossa história.

AMIGOS DO PATRIMÔNIO CULTURAL disse...

Prezada Marilda.

Obrigado por visitar nosso blog, por deixar seu comentário e pelas palavras elogiosas.

Bom saber do seu interesse pela antiga Fazenda do Areal (nome anterior do bairro Coelho Neto. Não tenho certeza, mas parece que a estação da E. F. Rio d' Ouro no bairro se chamava AREAL, em alusão à referida fazenda. No momento, não dispomos de maiores informações sobre a fazenda. O que sabemos são informações colhidas da obra "HISTÓRIA DAS RUAS DO RIO", do memorialista BRASIL GERSON, reeditada em 2000. Consultando tal obra, pude verificar que ele aborda a rua do Areal e a estrada do Areal. Todavia, a primeira existiu junto aos antigos limites do Campo de Santana ou da Aclamação, enquanto que a segunda seria na região de Jacarepaguá. Já a outrora Fazenda do Areal, aí sim, Brasil Gerson faz menção.

Espero ter podido esclarer algumas indagações. Deixe seu e-mail e contatos para que possa enviar algumas informações sobre a Fazenda do Areal. Mantenha contato.

Abraços,

CLARINDO
AMIGOS DO PATRIMÔNIO CULTURAL
amigosdopatrimonio@gmail.com
(21) 9765-6038 ou 2333-1412 ou 2656-9810 ou 3769-4221

Nair do Espírito Santo Costa disse...

Meu trisavô, José Maria Esteves embarcou para o Brasil a bordo do Belmonte, que partiu do Tejo a 21 de Dezembro de 1818.
Em 1842, teve a idéia de comprar a Fazenda Braz de Pinna, do negociante de azeite Braz de Pinna. A fazenda ia da Penha ao Cordovil, e foi comprada por dezoito contos de reis.
Desenvolveu a lavoura e o gado. A residência que construiu ficava na rua Guaporé perto da rua Pequiri. Explorou engenho e grande criação de gado, até 1870, quando arrendou a terra a um francês.
O inventário dele foi aberto no Cartório da Provedoria da Corte.
Na folha 205 do Testamento havia uma Planta Geral da Fazenda Braz de Pinna, representando os lotes a contento dos herdeiros, levantada por Rodrigues Pereira, em 1.870.
As terras de José Maria Esteves, num dos lados, faziam divisa com as terras de Paes de Andrade.
Minha bisavó, uma das herdeiras, chamava-se Leopoldina Carolina da Costa Esteves que casou com Julião Floriano do Espírito Santo.

nair

Seminário Teológico da Zona Oeste disse...

Sou uns dos descendentes do Dono da então Fazenda da Bica.
Meu tatara vô. A fazenda da bica abrangia os bairros de quintino, Meier, Engenho Novo.
No Meier existe ruas com nomes de suas filhas: Ana Barbosa, Grauben Barbosa (minha vó, faleceu com 70 anos em 1970)...
Dizem que ainda preservam a casa da fazenda que fica no CEI em Quintino.
Não sei muita coisa, só sei o que meu pai contava, gostaria de saber mais informações se possível.
obrigada Cristina

Cristina Azevedo disse...

Sou uns dos descendentes do Dono da então Fazenda da Bica.
Meu tatara vô. A fazenda da bica abrangia os bairros de quintino, Meier, Engenho Novo.
No Meier existe ruas com nomes de suas filhas: Ana Barbosa, Grauben Barbosa (minha vó, faleceu com 70 anos em 1970)...
Dizem que ainda preservam a casa da fazenda que fica no CEI em Quintino.
Não sei muita coisa, só sei o que meu pai contava, gostaria de saber mais informações se possível.
obrigada Cristina

lirio disse...

Eu acho a iniciativa de vocês louvável, bacana mesmo. Mas confesso que tornei-me pessimista em relação à preservação do patrimônio cultural, sobretudo quando estes bens estão em áreas afastadas de zonas turísticas da
cidade. O grande desafio é como viabilizar a restauração e a preservação (dando um novo uso a estes bens e devolvendo-os à comunidade) quando não háinteresse do setor privado e o setor público conta com um orçamento ínfimo para dar conta das ações de preservação; alia-se também um baixo envolvimento da comunidade local. Quandos os bens são de proprietários particulares, estes não se sentem estimulados a executarem obras de restauração, que são muito caras. Acho que só um mecenas viabilizaria isto... Por isso, o trabalho de pesquisa de vocês se torna ainda mais importante, pois no futuro serão apenas fotografias e textos que teremos.

Anônimo disse...

Marilda, a Estrada do Areal a que você se refere era o antigo nome da Avenida dos Italianos. É possível ver plantas antigas do bairro no site da SMU. Abraço.

Anônimo disse...

Olá, bom dia, não achei a imagem da fazenda dos Afonsos. Por acaso vcs a possuem?

Um abraço

coelhoneto disse...

Peço ajuda com material para nosso site http://coelhoneto.wordpress.com com acervo histórico sobre o bairro Coelho Neto.

Jean Carlos Novaes disse...

Olá! Estou buscando informações sobre a existência da Fazenda União de Jacarepaguá, supostamente, formada pela união das Fazendas Engenho D'água e Anil, que teria sido de propriedade da Marquesa de Jacarepaguá. Alguém já ouviu falar desta fazenda?

Anônimo disse...

Ola,
Nos itens 10 e 11 aparecem duas Fazendas das Palmeiras. Na verdade a relacionda a Penha chama-se Chacara das Palmeiras. Tinha, pelo que me consta, tamanho e funçoes de fazenda, mas chamava-se Chacara e era de propriedade de Lobo Junior e de sua esposa Flora Lobo. Uma parte da chacara foi doada para a construção deo Hospital Getulio Vargas. Posteriormente, o que restou da chacara é hoje o parque Ari Barroso que fica limitado pelas ruas com os nomes dos antigos proprietarios, Av. Lobo Junior e Rua Flora Lobo.
Por curiosidade ainda informo que Flora Lobo vinha a ser neta de Jose Maria Esteves, citado em outro comentario.
Abraços.

babibabiska disse...

Interessante. Auxiliou na minha pesquisa sobre Honório Gurgel. Mas infelizmente existem muito poucas informações sobre o Bairro. A iniciativa de montar este site é algo preciosíssimo, que deve ser difundida. Não sabia da existência de vocês. Sou estudante de Geografia e sou totalmente de acordo que não deixem a História dos nossos subúrbios desaparecer.

babibabiska disse...

Interessante. Auxiliou na minha pesquisa sobre Honório Gurgel. Mas infelizmente existem muito poucas informações sobre o Bairro. A iniciativa de montar este site é algo preciosíssimo, que deve ser difundida. Não sabia da existência de vocês. Sou estudante de Geografia e sou totalmente de acordo que não deixem a História dos nossos subúrbios desaparecer.

babibabiska disse...

Interessante. Auxiliou na minha pesquisa sobre Honório Gurgel. Mas infelizmente existem muito poucas informações sobre o Bairro. A iniciativa de montar este site é algo preciosíssimo, que deve ser difundida. Não sabia da existência de vocês. Sou estudante de Geografia e sou totalmente de acordo que não deixem a História dos nossos subúrbios desaparecer.

Bárbara disse...

Interessante. Auxiliou na minha pesquisa sobre Honório Gurgel. Mas infelizmente existem muito poucas informações sobre o Bairro. A iniciativa de montar este site é algo preciosíssimo, que deve ser difundida. Não sabia da existência de vocês. Sou estudante de Geografia e sou totalmente de acordo que não deixem a História dos nossos subúrbios desaparecer.

Frances Ferreira disse...

ola quero fazer parte desse grupo de amigos, moro em Marechal Hermes e algumasatividades culturais no bairro uma

meu email: francesferreirabrasil@gmail.com

tel 7897 4244 ou 6927 3952

abraços

Frances Ferreira disse...

ola moro em Marechal Hermes e faço algumas atividades culturais quero me juntar ao grupo e fortalecer a cultura do suburbio

francesferreirabrasil@gmail.com

7897 4244 ou 6927 3952

grande abraço

Carlos Henrique disse...

Prezados amigos, esse desenho da Igreja Nª Srª da Apresentação de Irajá é de obra de um dos fundadores do IHGBI, Instituto Histórico e Geográfico Baixada de Irajá, onde faço parte. sou historiador, e convido vocês para conhecerem nossa revista on-line "resenha digital do IHGBI". Deixo aqui meu e-mail para trocarmos ideias e diversos assuntos sobre nosso subúrbio. Abraço. Carlos Henrique (carloshenriquedoihgbi@bol.com.br)

Anônimo disse...

Caro Paulo Clarindo, parabenizo a sua iniciativa. A F. G. da Penha é citada em "trilhos do Rio". Também havia a de Ramos (Coronel Ramos). Na rua arquias Cordeiro 126, Google aproximado) existe um prédio aparentemente sede de fazenda, em frente à estação do Engenho Novo. A Listas Telefonicas publicou, na segunda metade dos anos 80 a história de cada bairro no Rio. Tenho um email com esta relação. Vou procurá-lo. enviarei breve. Mais uma vez, parabéns.

Joaquim Floriano Espírito Santo disse...

A título de colaboração, informo, sobre a Fazenda Braz de Pinna, o seguinte: “Braz de Pinna foi, nos tempos remotos, uma colônia de índios catequizados pelos jesuítas, que, em época precedente a 1635, se instalaram nessas terras fazendo erguer um grande convento cujas ruínas foram destruídas pelo loteamento de terrenos feito por uma companhia territorial.
Essa colônia explorava a cultura do anil e da cana de açúcar, além dos respectivos produtos, pois, até há algum tempo ainda restavam vestígios dos engenhos ali construídos.
Mais tarde, essa colônia, após ter pertencido a D. ROMUALDO SEIXAS, Bispo do Rio de Janeiro e posteriormente arcebispo da Bahia, foi dividida em várias fazendas, vendidas e doadas a várias pessoas.
Quanto ao nome Braz de Pinna consta que uma dessas fazendas em que foi dividida a colônia coube, por doação, a um negociante de azeite, de nome Braz de Pinna. Essa fazenda tinha os seguintes limites: estrada da Penha, caminho do Portinho até o litoral, praça do Quitungo, fazenda do Provedor e fazenda de Vicente de Carvalho."
Se for de interesse, possuo mais informações a respeito.

Anônimo disse...

Joaquim Floriano, gostaria de entrar em contato com você. Como?
Saudacões,
/Roberto

Joaquim Floriano do Espirito Santo disse...

Estou à disposição no e-mail selfoj@terra.com.br. Abraços. Joaquim Floriano

Odalvian disse...

Fazenda Botafogo:Englobava os bairros de Acari, Costa Barros e Barros filho em sua totalidade + parte de Pavuna e Coelho Neto. Tenho fotos dos anos 70 da antiga sede da Fazenda bem como planta original do seu perímetro, morei lá. Em breve, caso haja interesse, voltarei a entrar em contato para fornecer detalhes.
odalvian@ig.com.br

Odalvian disse...

Fazenda Botafogo:Englobava os bairros de Acari, Costa Barros e Barros filho em sua totalidade + parte de Pavuna e Coelho Neto. Tenho fotos dos anos 70 da antiga sede da Fazenda bem como planta original do seu perímetro, morei lá. Em breve, caso haja interesse, voltarei a entrar em contato para fornecer detalhes.
odalvian@ig.com.br

Alline Miller disse...

Não sei se é tarde para comentar, mas o Engenho da Ilha ficava na Ilha de Guaratiba, que é uma área de Guaratiba bem próxima da Serra da Grota Funda... Acredito que o Engenho da Pedra talvez ficasse na Pedra de Guaratiba

Maria do Rosario Pupp Spinasse disse...


O atual bairro de Tomás Coelho era o Engenho do Mato.
Esse engenho tinha uma escola que ficava no atual cruzamento da Av. João Ribeiro com Av. Martin Luther King Jr. Ainda se veem lá os vestígios das escadas da entrada dessa escola, a primeira do local! A casa dos senhores, com a inscrição “1890”, existe até hoje e fica em frente ao viaduto da Av. Ademar Bebiano, ao lado do bar “Escondidinho”.
Havia uma ligação ferroviária entre a Estação de Tomás Coelho (linha auxiliar) e o apeadouro do Engenho do Mato com a linha férrea Rio D’Ouro. Essa ligação passava onde é hoje a Av. João Ribeiro.
Com a morte do proprietário dessas terras, o Sr. Antônio (conhecido como “Canequinha”), os herdeiros decidiram fazer a divisão da propriedade. Após a extinção da fazenda e o loteamento de suas terras, na década de 30, surgiu o bairro Tomás Coelho, em torno da estação de trem. A princípio, um bairro agrícola, cuja produção era vendida no Mercadão
de Madureira. Mais tarde, foram surgindo as moradias e o comércio local.

André Lourenço disse...

O Engenho da Pedra ficava onde hoje é Olaria; ainda existe uma rua com o nome de "Estrada do Engenho da Pedra".

https://www.google.com/maps/search/Estrada+Engenho+da+Pedra+-+Olaria+-+Rio+de+Janeiro+Olaria+BR/@-22.8461122,-43.2618006,16z