Magé: desrespeito ao Patrimônio Histórico





Antonio Carlos Meritello Machado 8 de julho de 2009 00:12
Para: amigosdopatrimonio@gmail.com


A prefeita Núbia Cozzolino não derespeita sómente os direitos de funcionários estatutários, demitindo-os ilegamente, mas o Patrimônio Histórico tombado da Primeira Ferrovia do Brasil de Guia de Pacobaíba à Inhomirim, mandando asfaltar no centro de Piabetá o trecho da linha ferroviária, no momento que o IPHAN Instituto do Patrimônio Histórico Nacional-S 6 contrata a VALEC para elaborar um Projeto de Revitalização da Estrada de Ferro Mauá e o Prefeito de Petrópolis investe pela reativação do trecho entre seu município e Mágé, por entender que a volta do trem é incrementar o turismo gerando mais empregos e transporte ferroviária mais rpapido Petrópolis- Barão de Mauá, com percurso previsto de 1 hora e 40 minutos. Para protestar contra mais este ato arbitrário nos da AFPF Associação Fluminense de Preservação Ferroviária-AFP/Magé conclamos a todos participarem de manisfestação no centro de Piabetá, nesta quarta feira, 13 horas, para a qual contamos com divulgação deste importante veículo de comunicação.

Luiz Otávio (Diretor Executivo), Carlos Meritello (Administrativo), Edyr Inácio Silva (Tesoureiro), José Miguel Silva (Promoções) e Sonia Nascimento pela Comissão de Revitalização da Primeira Estrada de Ferro e AMOGP Associação de Moradores de Guia de Pacobaíba.


Telefones para contatos: 2259 9084 (Luiz Otávio)- 9498 7753/9348/7343(Meritello)
9326 2001(Sonia) - 9292 0192 (Miguel) -94053111 (Edir).




Estação de Guia de Pacobaíba-www.albertomarques.blogspot.com



PREFEITURA DE MAGÉ ASFALTA LEITO DA ESTRADA DE FERRO


Num aberto desafio ao IPHAN - Instituto do PatrimônioHistórico e Artistico Nacional – que decidira revitalizar o histórico trecho da antiga Estrada de Ferro Mauá, que ligava Guia de Pacobaíba à Vila Inhomirim, a prefeita Núbia Cozzolino, de Magé, decidiu determinar o asfaltamento de um trecho de cerca de 200 metros do leito da antiga ferrovia, no centro do distrito de Piabetá. A ferrovia foi construída por Irineu Evangelista de Souza, o Barão de Mauá, e inaugurada pelo Imperador, D. Pedro II. Essa foi a primeira estrada de ferro do País e a Prefeitura de Petrópolis está interessada em restaurar a ligação ferroviária com a cidade do Rio de Janeiro, visando reforçar o turismo na região, gerando empregos e renda para a população que mora ao longo da ferrovia. Por conta disso, o IPHAN contratou a VALEC para fazer um estudo sobre a retomada do transporte ferroviário entre a cidade do Rio de Janeiro e Petrópolis.


Por conta da ordem absurda da prefeita mageense, a Associação Fluminense de Preservação Ferroviária, por intermédio do jornalista Carlos Meritello, e engenheiro Luiz Otavio fizeram decidiram protocolar uma denúncia no Ministério Público Estadual contra a Prefeita Núbia Cozzolino, conforme protocolo 73495. A denúncia foi formalizada nesta quarta-feria,a depois de um em 8 de julho de 2009.


Fonte:
www.albertomarques.blogspot.com/


• Na festa de lançamento do Nº 8 da revista “Pilares da História”, no Instituto Histórico da Câmara de Duque de Caxias, o jornalista Antonio Carlos Meritello, que luta pela restauração da Estrada de Ferro que ligava Guia de Pacobaíba, atual Praia de Mauá, em Magé a Petrópolis, anunciou que uma grande empresa, com larga experiência em transporte ferroviário, manifestou interesse em patrocinar a restauração da primeira ferrovia do País, inaugurada há 154 anos, por D. Pedro II.

• Segundo Meritello, a idéia básica é utilizar a antiga ferrovia em eco-turismo, além de facilitar o transporte de passageiros entre o Rio e a Região Serrana, o que reduziria o número de coletivos na BR-040 e na Av. Brasil.

• A exemplo do que foi feito em Tiradentes (MG), será possível utilizar a antiga estrada de ferro, construída pelo Barão de Mauá, como forma de exploração e conservação da Mata Atlântica, com geração de renda para as famílias que moram ao longo da antiga ferrovia, além de incentivar o turismo ferroviário, muito utilizado em outros países.

• Por falar em Meritello, o jornal por ele fundado, o “Bate Papo”, que circula entre a Barra da Tijuca e Magé, publicou em sua última edição o comentário do nosso blog sobre as comemorações do “Dia da Baixada Fluminense”, no último dia 30. Valeu, parceiro!


vinicius claro 9 de julho de 2009 08:00
Para: amigosdopatrimonio@gmail.com


Prezados senhores.


Embora tenha recebido a notícia tarde para me agendar ao manifesto em favor da estação ferroviária de Pacobaíba, onde estive e admirei o local com certo pesar (estava se criando nos arredores um projeto de favela a revelia do patrimônio histórico), quero me solidarizar plenamente ao movimento e gostaria de estar informado sobre os acontecimentos e eventos, reuniões para que eu possa dar a minha contriubuição na preservação ferroviária.
Atenciosamente,
Prof. Vinicius Claro
ferromodelista



amigosdopatrimonio@gmail.com 13 de julho de 2009 15:28
Para: viniciusoclaro@gmail.com


Prezado professor Vinícius.


Fico muito grato pela sua manisfestação e solidariedade em favor da estação ferroviária de Guia de Pacobaíba e do antigo leito ferroviário da outrora E. F. Mauá, inaugurada em 1854 pelo então empresário Irineu Evangelista de Souza, o Barão de Mauá.


A notícia foi-me passada pelo amigo Meritello, que faz parte da AFPF, juntamente com o Luiz Octávio, abnegado defensor das estradas de ferro no Rio de Janeiro. Também não pude comparecer, devido a compromissos assumidos anteriormente ao evento. Vou fazer o possível para acompanhar os acontecimentos, inclusive encaminhei denúncia ao MPRJ, conforme fizera anteriormente, quando o Poder Público municipal incentivara a ocupação irregular do antigo leito ferroviário em Guia de Pacobaíba. O mesmo farei ao Ministério Público Federal. Com a força da lei e o exercício da cidadania poderemos impedir de vez a ação inconsequente e autoritária do Poder Público de Magé.


Por favor, caso queira, deixe seus telefones para contato ou entre em contato comigo (meus telefones estão abaixo!). A propósito, você é de Magé, da Baixada Fluminense ou do Rio?


Cordialmente,

C L A R I N D O
(21) 3769-4221 / 9765-6038
AMIGOS DO PATRIMÔNIO CULTURAL FLUMINENSE
amigosdopatrimonio@gmail.com


Estrada de Ferro Mauá


Carlos Ferreira (carlosferreirajf@gmail.com)



POLÍCIA FEDERAL EMBARGA O ASFALTAMENTO DE FERROVIA

Depois das manifestações de entidades que defendem o patrimônio histórico e cultural, o Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional - IPHAN - solicitou a Polícia Federal que intimasse a Prefeita de Magé, Núbia Cozzolino, a suspender as obras de asfaltamento do leito da antiga Estrada de Ferro Mauá. A interdição foi feita na segunda-feira (27). Essa ferrovia, construÍda por Irineu Evangelista de Souza- o Barão de Mauá, foi inaugurada pelo Imperador Pedro II em 30 de abril de 1854 ligando Guia de Pacobaíba à Petrópolis. Tombada pelo IPHAN (Registro nº 506-T-54), não pode sofrer nenhum dano conforme artigo 23 item 4 da Constituição Federal, mas a Prefeitura de Magé iniciou uma obra sem consulta ao órgão federal e sem colocação de placa da obra, conforme exigido pelo Tribunal de Contas do Estado. O engenheiro Luiz Octavio de Oliveira diretor da AFPF - Associação Fluminense de Preservação Ferroviária – espera, agora, que a Prefeitura de Magé desenterre a linha, deixando livre para circulação do trem conforme o projeto em andamento no IPHAN.
Fonte:
www.albertomarques.blogspot.com



IPHAN EMBARGA ASFALTAMENTO DE FERROVIA EM MAGÉ


alberto marques dias


POLÍCIA FEDERAL EMBARGA O ASFALTAMENTO DE FERROVIA



Depois das manifestações de entidades que defendem o patrimônio histórico e cultural, o Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional - IPHAN - solicitou a Polícia Federal que intimasse a Prefeita de Magé , Núbia Cozzolino, a suspender as obras de asfaltamento do leito da antiga Estrada de Ferro Mauá. A interdição foi feita na segunda-feira (27). Essa ferrovia, construÍda por Irineu Evangelista de Souza- o Barão de Mauá, foi inaugurada pelo Imperador Pedro II em 30 de abril de 1854 ligando Guia de Pacobaíba à Petrópolis. Tombada pelo IPHAN (Registro nº 506-T-54), não pode sofrer nenhum dano conforme artigo 23 item 4 da Constituição Federal, mas a Prefeitura de Magé iniciou uma obra sem consulta ao órgão federal e sem colocação de placa da obra, conforme exigido pelo Tribunal de Contas do Estado. O engenheiro Luiz Octavio de Oliveira diretor da AFPF - Associação Fluminense de Preservação Ferroviária – espera, agora, que a Prefeitura de Magé desenterre a linha, deixando livre para circulação do trem conforme o projeto em andamento no IPHAN.



postado por ALBERTO MARQUES às 7/28/2009 09:06:00 PM 2 Comentários

2 comentários:

Angeline disse...

É vergonhoso!
Ainda bem que foi expulsa do governo! Já foi tarde!
Gostaria que divulgassem tb as aberrações que acontecem em Miracema, onde os gestores querem acabar com o Centro Histórico da cidade.

Guilherme disse...

Nubia cospe na cara do povo.